Barra

Saúde: Viagem dos sonhos pode virar fatalidade

Temporada de férias, viagens mais longas de avião e sempre surge a preocupação de trombose. No entanto, segundo a Dra Bruna Henares, Cardiologista do Check up do Hospital Sírio Libanês, há outras situações que requerem atenção e podem levar a trombose venosa profunda e embolia pulmonar.

Trambose Venosa Profunda é quando um coágulo de sangue (trombo) se forma e obstrui a passagem de sangue na veia, em 90% dos casos ocorrem nas pernas mas pode ocorrer em outros locais. Segundo a Cardiologista o principal problema é o trombo soltar e ir para o pulmão causando Embolia Pulmonar. Esse coágulo obstrui o vaso do pulmão, afeta a oxigenação e pode levar a morte.

Os principais fatores de risco é a obesidade, o tabagismo, gravidez ou puerpério, câncer, uso de pílula anticoncepcional ou reposição hormonal, após cirurgias ou viagens longas entre outros fatores.

A trombose pode ser assintomática ou dar sintomas como dor, inchaço e mudança da cor no membro acometido como na perna. O diagnóstico deve ser feito pelo médico e confirmado com o exame de ultrassonografia com doppler colorido. O tratamento envolve o uso de anticoagulantes. Muita gente acha que o remédio “dissolve o trombo” mas não, o remédio apenas evita a formação de novos trombos, é o próprio corpo que “recanaliza” o trombo.

A Dra Bruna Henares ainda dá algumas dicas como, caminhada diariamente por 30 minutos, levantar a cada 2 horas, evitar o ganho de peso e uso de meia elásticas em viagens longas se indicado pelo médico.

Dois casos famosos foram o prefeito de São Paulo, Bruno Covas que o coágulo, que os médicos chamam de trombo apareceu nas veias fibulares e outro caso famoso é o do Deputado Túlio Gadelha que também teve trombose venosa profunda.

Importante o controle dos fatores de riscos e atenção aos sinais de trombose para diagnóstico precoce e tratamento adequado.